BERLIM: TERCEIRO DIA

Nosso penúltimo dia na capital alemã amanheceu mais frio e o sol estava bem tímido, bem diferente dos dias ensolarados anteriores. Tomamos café da manhã em uma padaria próxima ao hotel e seguimos de metrô para o Starbucks da Pariser Platz para nos encontrar com o guia – o inglês Rob Shaw – e o grupo para a visita ao campo de concentração Sachsenhausen.

Fizemos este tour com a empresa SANDEMANs NEW Berlin Tours, a mesma do passeio que fizemos no primeiro dia na cidade (leia aqui), porém para este é cobrado o valor fixo de €15 por pessoa (parte do lucro arrecadado é doado ao Sachsenhausen Memorial).

Os bilhetes de metrô e trem não estão inclusos no valor do tour e devem ser adquiridos individualmente por cada participante. Para quem vai de trem: lembre-se de validar o ticket na máquina antes de embarcar, pois durante a viagem há fiscais conferindo os bilhetes e quem se esquece de validá-los ganha uma bela multa (aconteceu com um casal do nosso grupo).

IMG_5726

Saímos do Starbucks às 11h e pegamos o metrô até a Estação Central de Berlim (Berlin Hauptbahnhof), onde na sequência pegamos o trem em direção à cidade de Oranienburg, a 35km ca capital alemã. Após chegar na estação de Oranienburg andamos por uns 15 minutos até o Sachsenhausen. Há um ônibus que faz este percurso, porém como era feriado o serviço estava suspenso.

A entrada é gratuita e há áudio-guia disponível mediante o pagamento de €3, ideal para aproveitar mais a visita. O ideal é usar roupas e sapatos confortáveis, pois é um lugar onde se anda bastante e é recomendável levar água e algum lanche para comer por lá.

DSC_0349_2Sachsenhausen começou a funcionar no ano de 1936 e foi um dos três maiores campos de concentração nazista da Alemanha. Inicialmente o local era destinado a prisioneiros políticos, entretanto após 02 anos de funcionamento milhares de judeus, homossexuais, ciganos, testemunhas de Jeová e inimigos políticos foram levados para o local. Durante os 09 anos que funcionou como campo de concentração, Sachsenhausen recebeu mais de 200.000 pessoas, sendo que metade destas morreram de alguma doença, pneumonia devido ao frio ou desnutrição e outras milhares morreram fuziladas, sufocadas em câmaras de gás ou vítimas de macabros experimentos médicos.

DSC_0351_2A sede do centro administrativo de todos os campos de concentração localizava-se em Oranienburg e, desta forma, Sachsenhausen foi também um centro de formação de oficiais da SS: tudo o que aprendiam lá era aplicado nos demais campos de concentração sob comando nazista.

Na área anterior à entrada há uma maquete onde é possível ver a configuração original deste Campo de Concentração:

IMG_7161

Sachsenhausen não era originalmente um campo de extermínio e sim um campo de trabalho forçado. Inicialmente os nazistas diziam que este local receberia prisioneiros que através do trabalho seriam reabilitados para poder viver novamente em sociedade. No portão de entrada está escrita a frase em alemão “Arbeit marcht frei” ou em português “O trabalho liberta”.

Assim que atravessei o portão senti a energia pesada daquele lugar que foi um dos palcos das maiores atrocidades cometidas pelo ser humano, em uma época do ápice da crueldade humana.

IMG_5682

No topo do edifício da entrada há um relógio com os ponteiros marcando a hora exata em que ocorreu a primeira evacuação dos prisioneiros:

DSC_0354_2

Os prisioneiros ficavam instalados em barracões onde dividiam banheiros e quartos superlotados. O local foi projetado para receber 150 pessoas, mas há registros de 400 prisioneiros ocupando o mesmo barracão:

DSC_0326_2

DSC_0324_2

Havia 68 barracões neste campo de concentração mas somente 02 destes permanecem até hoje. Os que foram destruídos possuem a área demarcada com brita e concreto:

DSC_0322_2

DSC_0346_2

Os prisioneiros que desobedeciam às ordens do local era levados para uma área cercada por muros (foto abaixo) e eram torturados. Os outros prisioneiros que estavam do outro lado do muro apenas ouviam os gritos mas não sabiam o que estava acontecendo com os torturados. O terror psicológico era uma maneira de manter a ordem e controlar os prisioneiros.

DSC_0331_2

O prisioneiro que invadisse a chamada “Zona Neutra” era fuzilado:

DSC_0320_2Lá dentro há dois museus com um acervo vasto sobre tudo o que aconteceu no local. O nosso guia nos explicou tudo, contou histórias e tirou dúvidas. Se tivéssemos ido só eu e o Du certamente teríamos ficado um pouco perdidos e sem muita paciência para ler todas as placas e muitos detalhes teriam escapado de nossa atenção.

DSC_0325_2

A parte mais comovente é a “Estação Z”, onde ficavam os crematórios e também onde os prisioneiros eram executados. Os nazistas deram este nome porque consideravam este ponto a última parada do preso, que antecedia a própria morte, em oposição ao “Ponto A” que era o portão de entrada do local, ponto de partida da jornada do prisioneiro.

IMG_7187

Na foto abaixo está a vala de execução onde os prisioneiros condenados à morte eram fuzilados:

DSC_0347_2

E quando chegamos na área dos fornos onde os corpos eram queimados o guia nos contou como ocorriam as mortes e os procedimentos cruéis adotados pelos nazistas. Depois ele nos deixou à vontade para explorar o local e refletir sobre tudo o que tínhamos acabado de ouvir.

DSC_0350_2

E foi nesta hora, quando fiquei olhando e imaginando tudo o que aconteceu lá, que eu caí no choro. Chorei de tristeza, de angústia e também de vergonha por imaginar o que o ser humano é capaz de fazer com o outro.

Após o fim da II Guerra Mundial os soviéticos dominaram Sachsenhausen e fizeram dele um local de confinamento para presos políticos, a maioria nazistas. De 1945 a 1950, ano em que o local foi fechado, 60mil pessoas passaram por lá e destas, 12mil foram mortas por desnutrição e doenças.

Visitar Sachsenhausen é doloroso e, sem dúvidas, uma experiência marcante. É um local que não pode ser ignorado e muito menos esquecido, pois todos nós e as próximas gerações devem se lembrar de tudo o que aconteceu no passado para não repetir os mesmos erros no futuro.

DSC_0355_2

Após três horas dentro do Sachsenhausen retornamos para Berlim. O feriado de 1o de Maio é dia de festa na Alemanha: os alemães vão em peso para as ruas – principalmente para protestar por alguma causa política – e nosso guia disse que iria para o bairro alternativo de Kreuzberg. Alguns integrantes do grupo seguiram com o guia e nós também decidimos ir. Mas chegando lá era tanta gente na rua que nos afastamos e decidimos voltar para o hotel. Estávamos com fome, mas todos os bares e restaurantes estavam cheios e eu não estava no clima de comer qualquer coisa em barraquinha de rua e ainda por cima curtir manifestação gringa ao som de batuque!

Voltamos para o hotel, tomamos banho e trocamos de roupa, pois o tempo virou e estava bem frio a esta altura. Pegamos o metrô e descemos na estação da Alexanderplatz, centro comercial bem turístico, mas como era feriado estava tudo fechado e fomos direto para o bar/pub The Pub.

 

IMG_7193

Chegamos lá por volta das 20:30h e conseguimos uma mesa e pouco tempo depois o bar já estava cheio. No meio da mesa há uma chopeira para que cada pessoa se sirva e a máquina computa a quantidade de chopp que foi tirada. Achei a ideia fantástica, pois não é necessário depender do garçon toda hora que quiser um chopp, é possível controlar a quantidade de espuma de acordo com o gosto de cada um e é possível beber 120ml de chopp ou 600ml!

Há um telão no centro do bar que mostra o consumo de chopp de cada mesa e também das mesas das unidades do bar em outros países. É divertido, pois no fim acaba virando uma competição de qual mesa bebe mais!

IMG_5683

O cardápio também fica exposto na tela na mesa onde cada um pode fazer os pedidos sem depender do garçon:

IMG_7194

Estávamos famintos e comemos hamburguer e batata frita, sempre cai bem com cerveja! Saímos de lá por volta das 21h e fomos direto pro hotel furgir do frio!

 

 

Anúncios
1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: