LONDRES

Sempre tive muita vontade de conhecer Londres, mas por algum motivo sempre fui deixando a cidade para uma próxima oportunidade. Desde o ano passado já havíamos decidido que 2014 seria o ano de conhecer a capital britânica e, finalmente, conseguimos! E posso dizer que a espera valeu muito a pena, pois me apaixonei por Londres, amor à primeira vista mesmo! Ah Londres, nunca te vi, sempre te amei!

IMG_6541

Já percebi que Londres é o tipo de cidade que desperta amor ou ódio: não há meio termo! Conheço gente que foi e amou e também gente que foi e não pretende voltar (minoria!). Tenho um amigo que foi há alguns anos e não gostou da cidade, mas depois de tanto que eu falei que gostei de lá ele quer voltar para entender o porquê de tanto amor, e quem sabe, se apaixonar também! rs

A capital britânica é famosa pela chuva e tempo nublado (o famoso fog), é uma das cidades mais caras do mundo (a libra esterlina é a moeda mais valorizada de todas, valendo algo em torno de R$4,00) e a fama da imigração não é das melhores.

Mas aí eu te mostro o lado positivo desta história (Pollyanna Moça em ação! rs): de acordo com a Wikipedia, a cidade tem uma média de precipitação menor do que Roma, por exemplo. A média é de um dia chuvoso para cada três sem chuva. Fomos no início da primavera, ou seja, temperaturas amenas (choveu durante dois dias e por alguns minutos em outro) e muito verde e flores por todo lado. Foram somente dois dias nublados, cinza mesmo, mas nos outros até o sol apareceu.

Realmente a moeda é cara para nós brasileiros, mas no geral gastamos o mesmo que aqui em São Paulo, principalmente com comida. Mas claro que o lema “Quem converte não se diverte” deve ser seguido à risca, como em qualquer viagem. A imigração foi tranquila, apesar de ser mais rigorosa do que em outros países que já visitei. O oficial da imigração fez algumas perguntas padrão: onde ficaria hospedada, qual a minha profissão no Brasil e o quais os pontos turísticos iria visitar em Londres. Basta manter a calma e responder a todas as perguntas de forma objetiva e sem mentiras, claro.

Guias LondresDica sobre Londres na internet é o que não falta: ao digitar “dica Londres” no google aparecem mais de 700 mil resultados! Claro que minha pesquisa não começou por aí, caso contrário estaria até hoje pesquisando dicas sobre a cidade! Já tinha muita coisa salva na minha pasta de “Viagens” no computador, com dicas aleatórias de Londres. Bastou organizar e agrupar o que me interessava.

Para completar o material que já tinha salvo, selecionei alguns blogs que serviram de base para montar o roteiro. Os utilizados foram: Dri Everywhere, escrito pela brasileira Adriana Miller que vive na cidade há sete anos e conhece Londres como ninguém, Londres para principiantes, escrito pela Eneida e pelo Steve, é um guia completíssimo sobre a cidade, algumas dicas também vieram do blog I am leaving today e o Passagem gastronômica sobre culinária, com várias dicas ótimas de restaurantes, bares, pubs e afins na cidade. A maioria dos restaurantes de Londres tem cardápio no site com os preços, o que ajuda muito a ter uma ideia de quanto se vai gastar.

Para a versão impressa peguei emprestado com uma amiga o guia Londres do Lonely Planet. O guia é bem fácil de manusear, tem mapas e muitas dicas boas!

Shaftesbury Premier London Notting Hill

Captura de Tela 2014-08-27 às 20.09.00

Fachada Hotel

Fonte das Imagenshttp://www.theshaftesbury.com/index.php?option=reservation&task=gallerydetails&id=115

Encontrar um hotel em Londres com boa localização (perto do metrô e em uma região mais central) por menos de US$150 a diária é uma missão quase impossível! Fomos em uma época de início de alta temporada e ainda chegamos em uma semana de feriado de Páscoa, período em que a cidade estaria bem cheia de turistas. Resultado: os hotéis com preços bons já estavam esgotados e ou encontrei hotéis com diárias na casa dos US$240 ou muquifos com diária por volta de US$160.

Tentei booking, priceline, sites dos hotéis e nada. Não queria pagar uma fortuna em hotel e também não queria ficar hospedada em quartos comunitários em albergues, afinal ficaríamos na cidade por sete noites e queríamos o mínimo de conforto. Já estava quase me conformando em dobrar o orçamento que estipulei para gasto com hospedagem e foi aí que me lembrei do site Hotwire. É um site de descontos, você escolhe a região que quer ficar e ele te dá opções (falei sobre este neste neste post). Resumindo a história, encontrei o hotel London Premier Notting Hill por US$133,00 (incluindo taxas) em Notting Hill (o bairro famoso do filme “Um lugar chamado Notting Hill”), a 5 minutos de caminhada do metrô e ponto de ônibus, a algumas quadras do Hyde Park e com vários restaurantes e pubs na região. Se tivesse feito a reserva pelo booking teria pago US$300,00 a mais pelas 07 diárias, uma economia de 24% que faz toda a diferença em uma viagem!

O quarto era minúsculo e banheiro idem, mas era limpo, tinha aquecedor e era confortável (na medida do possível!). Como a ideia era um hotel só para dormir, o Shaftesbury foi uma ótima escolha. O café da manhã era cobrado à parte e preferimos tomar café na rua. Cada dia escolhíamos um local diferente e foi ótimo!

Transporte Londres

O transporte público em Londres é excelente: de metrô (tube) ou de ônibus dá para se deslocar tranquilamente por toda a cidade. Andamos bastante a pé também, pois as áreas mais turísticas são bem próximas umas das outras.

Assim que chegamos no aeroporto já compramos o Oyster que é um bilhete eletrônico válido para metrô e ônibus. Custa £5 e se você devolver o cartão na bilheteria quando for embora eles devolvem também o valor pago por ele, inclusive o saldo restante. A cobrança da tarifa do metrô funciona por zonas, de acordo com a distância que você percorre. Com o Oyster não é necessário calcular o valor da tarifa: basta encostar o cartão no leitor eletrônico e o valor será debitado.

Oyster card

Andar de ônibus em Londres é muito simples, principalmente para quem mora em São Paulo onde raramente há indicação das linhas que param em determinado ponto de ônibus. Lá cada parada possui um nome e em todos os pontos há um mapa da área mais central da cidade com os nomes dos pontos e quais linhas de ônibus passam por lá. E ainda tem o charme de andar em um ônibus de dois andares!

Ponto de ônibus

foto 3

Londres é uma cidade cosmopolita, moderna e prática mas com todo o charme europeu. Pra mim é uma Nova Iorque européia, onde tudo funciona. As pessoas são muito educadas e prestativas. Simplesmente amei e já quero voltar!

Anúncios
1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: